sábado, julho 02, 2005

Me Manifesto Em Volúpia

Me manifesto em volúpia
Mergulhado em uivos,
Gemidos e sussurros
Embebidos em água, suor e saliva,
Enquanto te penetro
Vivendo em orgasmo delirante!

O quarto, incensado
Com nosso cheiro de amor,
É o Templo de nossa devassidão
E luxúria!

E tu, minha loba no cio,
Com teu corpo em minhas mãos,
Vou embalado em teu
Cheiro de fêmea
Penetrando teu sexo
Enquanto sorris olhando para mim!

Me pareces anjo,
Mas és um demônio
Pedindo e implorando meu
Líquido precioso em tuas coxas
Para depois oferece-lo em holocausto
No altar consagrado aos Deuses!

Nosso ritual é a viagem que
Realizo contigo, e cada passo,
Sem hesitação ou covardia,
É meu caminho do prazer da dor
No labirinto que sou eu
Tentando encontrar a mim mesmo!

E, depois,
Não terei a dor da saudade
Pois esta não cabe em meu peito.
Não haverá solidão após nosso ato de amor...

Para sempre estarei em ti
... Para sempre estarás em mim...
Ungidos pelo gozo de
Nossa paixão
Incensados pelo cheiro da última noite!


Jorge Alberto Neves*
03.10.2004 – 15:46:04


*obra protegida por copyright

3 comentários:

Anônimo disse...

nossa.....
mto legal esse poema! mto mesmo!
bjuss

Déia disse...

Parabéns pelo dom que Deus te deu. Poemas belíssimos como este, nos fazem transportar para querermos viver o que você escreve...
Beijocas mil da amiga Déia.

BIA disse...

EU DI NOVU...HEHEHE
GOSTEI DEXE TAMBEIM...É OUSADO + É BEM BONITO!
=)