segunda-feira, junho 06, 2005

Os Livros e as Rosas

Olho para uma sacola
Jogada ao canto,
E, nela deposito
Todas as esperanças do
Que já não fui.

Esqueço em seu interior,
O passado já partido,
O momento tão vivido,
A lembrança que já se foi!

... Tudo é passado,
Como as lembranças
Da bilbioteca que somos...
...
Nada mais passamos, senão,
De amontoado de livros de memórias,
Das alegrias e dores,
Vitórias e desilusões...
Ai, como somos...

Minhas prateleiras empoeiradas,
Guardam os volumes que vivi,
E quando os leio,
Vejo que o passado vem e vai,
Na forma das flores
De meu jardim de emoções...
Ai, que rosas lindas eu sou!

E, nos passos loucos que dou,
Nada mais sou que andarilho
Buscando o que não sabe,
Nem quem ao menos é...
... mas busca sempre...
... quem sabe se encontrará, um dia,
Quando avistar a Bela Biblioteca,
Cercada de um jardim de
Rosas em botão!


Jorge Alberto Neves*
23/06/2004 - 12:28:04


*obra protegida por copyright

4 comentários:

Elida Kronig disse...

Gostei da biblioteca, da mulher, do tempo ocioso, do transcedental... gostei de tudo!! :)
Beijinhos

elida kronig disse...

Vim te deixar um beijinho :)

Drica disse...

Oieee
Como eu disse q eu passaria ake pra ver....e nao deixar recado eh mto falta de consideração =P

adorei os poemas viu...
mtos lindos...

Boa semana pra vc...

Anônimo disse...

De meu jardim de emoções...
Ai, que rosas lindas eu sou!

E, nos passos loucos que dou,
Nada mais sou que andarilho
Buscando o que não sabe,
Nem quem ao menos é...
... mas busca sempre...


Ah Jorge... vc como sempre sabe colocar nos versos aquilo q tem dentro da gente de uma forma linda...adorei...
Bjos