sexta-feira, maio 13, 2005

O Sonho e A Vigília


I

A fronteira entre minha fé
E a descrença,
Nada mais é do que
Espasmos insanos
Em meio à lucidez idiota
Que os outros esperam de mim!

E entre os sonhos e a realidade,
Vou cambaleante entre sombras
Perdidas em minha mente
Agonizante...
...!
Já sou demente ao não
Sentir ao nada em mim mesmo!

Qual nada mais vale
Senão passar eras entre
Os sonhos e a vigília...

II

Vivo meus sonhos
Como fuga do presente que não sou!

A vida que tenho,
Me a desejaram!

Da vida que gostaria,
As chances me as aprisionaram!

A vida que tive,
Colocaram-na em um porta-retrato, na estante...

Nos suspiros e nas lágrimas
Que ora correm por meu rosto,
Deposito a esperança
De um dia acordar...

O que querem? O que realmente
Desejam eles?

Ainda não sei...
Apenas sinto os grilhões
Às minhas mãos apertar!


Jorge Alberto Neves*
18/02/2005 - 10:48:25

*obra protegida por copyright

2 comentários:

Lidia Leão disse...

Jorge
De novo MARAVILHOSO!

" Em meio à lucidez idiota
Que os outros esperam de mim!"

Isso diz tudo, meu querido amigo...

Bjs

Bridda disse...

Olá Jorge!

Eu sempre passando por aqui,
gosto de seus poemas.
São lindos e sempre tem a ver
com alguns de nossos momentos.

Beijos querido amigo.