quinta-feira, setembro 23, 2010

A Mão Que Já Não Toca...

Eu finjo e sinto em linhas tortas,
O amor de um passado antigo que já não importa,
Na lembrança doída e distante,
Que me corta o peito qual dor lancinante.

Em imagens e sons que já não existem,
O amor passado, sofrido que ainda insiste,
Voltar à memória do que é agora,
Sem ver que já é morto, foi embora!

A mão distante já não toca,
E a imagem borrada, o olhar já não foca.
Está perdida tal como uma obra esquecida.

Entre os livros de uma estante que já não importa,
Pois passado que é de uma vida,
Distante e sofrida.


 
Jorge Alberto Neves*
15/09/2010 - 08:34:10

*obra protegida por copyright

5 comentários:

SABRINA disse...

Sublime...

Carla disse...

Lindo... me fez relembrar "Uma mao q ja nao toca" tb...

Carla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávia disse...

"E a imagem borrada, o olhar já não foca."
O passado nos parece sempre uma imagem borrada, envelhecida, embaçada. Mas sempre teimamos em olhar para ele na esperança de revivê-lo.
Adorei!

Anônimo disse...

"... Em imagens e sons que já não existem,
O amor passado, sofrido que ainda insiste,
Voltar à memória do que é agora,
Sem ver que já é morto, foi embora!"

Lindo, como muitos outros!

Parabéns!

Bjs