domingo, setembro 05, 2010

A Novidade

De tudo o que for novo,
quero ser a novidade...!

Do início de tudo,
quero ser o frisson pelo novo...!

Assim, quero minha vida louca...
... Doce, irresponsável e solta!
Quero a alucinação de ser vivo!
A liberdade do sorriso frouxo...
... O início, o medo e a
inexperiência...!

Quero ser o novo tornando-me
o extremamente velho...!
Assim, desejo o tudo e o nada
na ânsia de produzir
grande obra,
agora, que por primeiro
escrevo poesias em um
caderno novo...!


Jorge Alberto Neves*

10.10.00 - 21:10:10

*obra protegida por copyright

2 comentários:

Anônimo disse...

Adorei esse poema. Tudo a ver... Vc escreve muito bem. Vou torcer para literatura ganhar um autor de livrossssssss!!!
Bjinhos. Tammy

Cris disse...

Olá, Jorge!
Gostei muito deste poema...me traz uma sensação de liberdade, mostrando que o novo, muitas vezes, nos leva, a caminhos nunca imaginado, acrescentando experiências e conquistas...rsrs. Parabéns!!! Seus poemas estão, como sempre, excelentes... Repito as palavras da Tammy, "espero que esta literatura ganhe um autor de livros"...rsrs!!!
Um abraço!
Cris