quinta-feira, setembro 01, 2011

O Amor Súbito

I

O Amor súbito, de forma inesperada,
É a canção que embala os corações,
No sonho de serem crianças, outra vez!

E, já que não é apenas fogo,
Que se esgota e sufoca num instante,
Mas, brasa intensa que protege e anima os Amantes,

Se transmite no olhar apaixonado,
No toque suave,
No beijar intenso e desmedido,
Na entrega dos corpos ardentes,
Entre juras e promessas eternas,
Quanto o gozo vem...

II

Na surpresa do amar subitamente,
Reside o grande mistério da vida e da morte...

Nascemos para uma nova vida,
Morremos para os dias já idos,
Quando tudo havia, menos o Amor!



Jorge Alberto Neves*
01/09/2011 – 07:27:49

*obra protegida por copyright

2 comentários:

Cris disse...

Simplesmente.... Lindo!!!! Parabéns!!!

Jacqueline disse...

Muito bonito!